Vale Europeu – Terceiro dia

Por , 30 de janeiro de 2010 22:50

Acordar em um lugar como Altos Cedros, com certeza é uma experiência fora de série, mas o pedal tinha que continuar e assim o fiz. Cedo desci para a casa do seu Raulino e fui tomar um café da manhã, logo em seguida estava atravessando a barragem de Altos Cedros no barco do seu Raulino.

Oito horas da manhã em ponto estava iniciando o pedal em direção a Palmeiras o equivalente ao sexto dia oficial. Temperatura agradável e uma paisagem realmente muito bonita, a estrada segue a barragem durante 6 quilômetros, mas não se engane, serão pelo menos mais 25 quilômetros de subida. Saindo de Altos Cedros a paisagem predominante é de reflorestamento, empresas madeireiras tomam conta do lugar, por outro lado a estrada que deveria ser de terra é quase na verdade um anti pó, as empresas jogam um cascalho preto bem moído na estrada, por isso a impressão e fica uma beleza para pedalar.

O ritmo foi um pouco mais lento apesar de a estrada estar uma beleza, lisinha, mas por baixo estava fofa devido as várias chuvas, o solo acabou ficando encharcado e quando o pneu passava o terreno afundava. Aproveitei para tirar boas fotos, o céu estava ajudando também.

Passados os 25 quilômetros, agora é só alegria as descidas compensam os esforços de subir, mas ficar atendo também é bom, perder algumas paisagens pode acontecer. Vi uma cachoeira a beira da estrada com antecedência e quase que eu não consigo parar para desfrutar da água gelada e encher as caramanholas.

Cheguei exatamente meio dia em Palmeiras e adivinha…. o único lugar para carimbar o passaporte e almoçar estava fechado em plena segunda-feira, o jeito foi sentar e comer umas bolachas recheadas que tinha levado e tomar água, passado uns 20 minutos apareceu um caminhão de entrega de cigarros e uma moça abriu o portão ao lado, perguntei se poderia carimbar o passaporte e a mesma disse que sim, pelo menos isso, o rapaz do caminhão informou que uns 6 quilômetros a baixo tinha um restaurante que estava servindo o almoço e me mandei para lá 😀

Como havia descido 6 quilômetros para poder almoçar acabei desviando um pouco o percurso original e não segui o rio Milanês, mas o outro caminho também era muito bonito e com uma descida monstruosa que seguia um rio, mais a frente o caminho retornou ao original.

Logo estava eu no trevo que leva a subida mais temida do circuito, este trecho já faz parte do último dia oficial, ou seja o sétimo dia, Palmeiras-Timbó. Começa com um subidinha e logo você começa a se perguntar por onde eu vou passar, só poder ser um pedal misturado com montanhismo tipo este “7 Suicida – Morro Mãe Catira e Morro do Sete“, mas não é, são 2 quilômetros com uma subida descomunal, talvez só fusca, corcel e ciclistas ande por aquelas bandas. Em um trecho a bike empinou e tive de empurrar alguns metros ai achei uma entradinha que levava a um rio que virava cachoeira.

Passado o verdadeira pedreira, depois fica tudo mais fácil, agora é só descida até Rodeio e depois um asfalto até Timbó. Chegando em Timbó minha esposa já estava me esperando, fomos tomar uma café em uma panificadora e depois pegar o tal certificado.

Fechei o pedal com 96,33 Km em 9h 04m e média de 17.28 km/h

Fotos: Vale Europeu 3° Dia 18/01/10

Trajeto do GPS: GPSies - Vale Europeu 3° Dia

3 comentários para “Vale Europeu – Terceiro dia”

  1. No trecho Alto Cedros para Palmeira pegamos tempo fechado e chuva. Nada melhor do que um sol para animar, a paisagem muda completamente!

    Parabéns Vale-Europianos! 🙂

  2. Luiz disse:

    Restaurante fechado na segunda na hora do almoço é sacanagem! Ainda mais quando se chega varado de fome…

  3. mildo disse:

    ahhhhhhhhhhhhh empurrou a bike???? fala sério!!! coisa de mulherzinha!!!!!

Deixe uma resposta

Panorama Theme by Themocracy