Volta da Lapa

Por , 29 de junho de 2016 21:44

A muito tempo este pedal estava em minha lista de pendências, até que enfim neste fim se semana se concretizou, não lembro mais o ano, mas acho que foi em 2009, Gassner e Mildo foram para lá, mas eu acabei afinando por causa do tempo ruim.

Como sempre poucos interessados em realizar esta proeza, pedal longo e com altimetria alta, saímos de São José dos Pinhais eu e o Daniel em direção ao Barigui para encontrar o Luiz e o Arce. Sem muita enrolação partimos pela 277 sentido Campo Largo, antes de completar 10 km do Barigui o Arce furou a primeira vez o pneu dianteiro e foram 3 furos até chegar no Jusita, onde ele abandonou e solicitou resgate, a partir daí, seguimos em 3.

Quase chuva

O tempo estava frio e com bastante nevoeiro que ficou persistente até próximo a Witmarsun, o nevoeiro passou mas o tempo permaneceu frio e com muitas nuvens (Existia a previsão de abrir um sol). A partir de Witmarsun eu não conhecia a estrada e confesso que me surpreendi como as estradas estão muito bem conservadas e o visual muito bonito das planícies.

Foto By Luiz

Foto By Luiz

Apesar de haver algumas subidas fortes depois de São Luiz do Purunã, ao percurso desce bastante até o Rio Iguaçu em Porto Amazonas e depois deste rio o trajeto não dá alivio, é o tempo todo um sobe e desce uma verdadeira montanha russa até chegar na Lapa, neste trecho não tem nada além da cidade de Porto Amazonas onde passamos batido e provavelmente com um posto ou alguma loja para comer algo. Próximo da Lapa estávamos sem aguá e o Daniel quase chamando resgate, por sorte estava tendo uma festa na colônia Johannesdorf e conseguimos nos abastecer com aguá e seguir até a Lapa.

Paisagens de Porto Amazonas

Paisagens de Porto Amazonas

A ideia era fazer um lanche, mas após entrar em um restaurante próximo a estrada não resistimos e acabamos por almoçar ali mesmo, agora mais animado o Daniel resolveu continuar, mas tinha chão ainda para percorrer, mais uns 70km até São José dos Pinhais.

Saindo da Lapa em direção a Contenda tem uma serrinha que acaba no pedágio, a estrada continua muito boa com poucas subidas fortes e o ritmo foi tranquilo até chegarmos na Contenda, depois da Contenta começa um sobe e desce e não para mais, chagando em Araucária a paisagem já muda bastante o céu que já estava meio fechado ficou pior com aquele monte de fumaça das refinarias, a estrada com acostamento permanece muito boa, porém com muita sujeira, mas mesmo assim não tivemos mais furos nos pneus (Arce usou toda a cota).

Chagando no Contorno Sul Eu e o Daniel nos separamos do Luiz e seguimos para São José para fechar os 200km o Luiz seguiu para o Barigui e fechou com 177km. Pedal

Deixe uma resposta

Panorama Theme by Themocracy