Category: Carros

SP aposta nas bikes e Curitiba?

Por , 15 de abril de 2011 19:56

Reportagem do dia 12 no Estadão, mostra a comparação dos “Bikeboys” em São Paulo e parece que o movimento vem ganhando espaço entre os serviços LOW CO2², a BM&F vem apostando nisso. A baixo um info gráfico mostra a comparação entre o “Bikeboy” e o Motoboy.

Curitiba contra o verde

 

Mas o que dizer da capital ecológica do Brasil?? Sim Curitiba!!

Parece que a cidade verde e ecológica, assim pelo menos ela se considera e continua vendendo esta imagem mundo a fora vem contra tudo o que diz respeito a LOW CO². A prefeitura vem ampliando a frota de ônibus nas rua e incentivando o aumento da frota de carros, criando mais e mais binários, conforme aponta a reporagem do também do dia 12 do Bem Paraná.

 

Trecho da reportagem do Bem Paraná:

“Fiscalização nas canaletas
Agentes da Diretran da Urbs e policiais do BPTRan vão intensificar a fiscalização nas canaletas do transporte coletivo para impedir o tráfego de veículos não autorizados. A medida foi definida a partir de estudos indicando o aumento do tráfego destes veículos como um dos fatores a provocar acidentes com ônibus do transporte coletivo. A primeira etapa do trabalho foi iniciada nesta semana com o envio de correspondência a órgãos policiais, hospitais, SAMU e empresas de atendimentos de emergência, entre outros, alertando para os riscos de estes veículos circularem nas canaletas quando não estão a serviço. A correspondência também informa que será feita fiscalização a partir de data ainda a ser definida. 185 ônibus expressos circulam nas canaletas dos seis eixos de transporte, levando até 600 mil passageiros. A frequência das viagens pode ser prejudicada, principalmente em horas de maior movimento, em função do tráfego de outros veículos que circulam irregularmente nas canaletas, como ciclistas e skatistas.”

Aqui fica meu pequeno protesto.

Desrespeito

Por , 24 de junho de 2010 17:55

Este vídeo foi postado pelo Flávio Gomes e compartilhado pelo Pedaleiro via Reader, mas achei tão indignante a atitude dos motoristas e inclusive um policial militar que deveria estar dando o exemplo tenha uma atitude daquelas. É lamentável Brasilsilsisil!!!

Revolução do Automóvel

Por , 25 de fevereiro de 2010 22:57

No início do século XX, os automóveis eram caros, difíceis de dirigir e funcionavam precariamente. Então, criei uma fábrica moderna que produziu um carro simples, acessível e fácil de usar. O resultado, você sabe. A indústria automobilística
explodiu no mundo inteiro, o que mudou o desenho das cidades, até chegarmos à situação em que nos encontramos, com emissoras de rádio dedicadas somente a noticiar o trânsito.
Um tanto por culpa e outro tanto porque sou engenhoso mesmo, pensei num novo produto que vai revolucionar mais uma vez a maneira como vivemos. Ao contrário do que você possa imaginar, não se trata de nada que corteje o discurso da energia sustentável e renovável. Aliás, minha invenção mal precisará de uma energia motora. A gênese da minha ideia é muito simples: parece-me um contrassenso produzir carros cada vez mais potentes, cada vez mais velozes e furiosos, se mal conseguimos engatar a segunda. Não faz sentido imaginar carros com cada vez mais equipamentos de navegação se é difícil chegar à esquina.
A maioria dos carros que andam nas hipercidades são projetados para coisas que eles não podem fazer: mexerem-se.
Foi só juntar um mais um para perceber que precisamos mesmo é de um carro para ficar parado. Isso mesmo. Já estava na hora de lançar o autoimóvel.

Num só projeto, resolvemos os problemas do déficit habitacional e o de trânsito. Esses novos bólides viriam equipados com o que interessa: cama, fogareiro e banheiro químico. O resto do que você precisa tem num celular. Milhões de pessoas finalmente poderiam morar perto do trabalho (caso tivessem a sorte de ficarem num engarrafamento perto dele). O autoimóvel iria promover uma redução de impostos. O IPVA e o IPTU seriam integrados. O Imposto sobre Circulação de Mercadorias também não faria sentido . Tiraríamos pessoas da economia informal. Os flanelinhas seriam promovidos a zeladores. Os ambulantes passariam para o mercado de delivery. Os carros maiores, do tipo SVU, poderiam ser convertidos em área de lazer coletiva, como as praças. Diminuiríamos diferenças sociais entre os bairros. Autoimóveis populares poderiam ser vizinhos de uma perua de luxo.
Um dos efeitos colaterais seria uma inevitável mistura de apelos publicitários praticados pelas indústrias da construção e da automobilística. Já imagino até um anúncio: “Venha morar nas Vivendas do Sedan, motor 0.0, design arrojado, espaço gourmet, o carro mais espaçoso da categoria, parado ali no coração do engarrafamento que mais cresce na Zona Sul”.
O Autoimóvel é uma ideia boa e necessária. E que tem mercado garantido. Pois já nasce com o apoio incondicional das autoridades que estão sempre a fazer túneis, viadutos e outros estímulos para entupir as ruas.

Achei no Blog do Ford

Panorama Theme by Themocracy