Category: São José dos Pinhais

Castelhanos

Por , 9 de novembro de 2015 10:28

Após quase 7 anos andando de bike pelas colonias de São José dos Pinhais e outras regiões, finalmente fui até a Colônia Castelhanos, sempre um contra tempo ou outro me impedia de ir até lá. Durante essa semana eu e o Daniel colocamos como meta executar esse pedal, e ir até lá neste fim de semana, nem que chovesse! O Daniel também compartilhava desse peso ciclístico em não conhecer o Castelhanos.

Resolvi fazer o percurso, tradicional ou seja, indo por dentro das Colônias, e depois pela Colônia Roça Velha, passando pelo Morro Redondo e seguindo em frente, peguei o track do Renato Pedaleiro que fez essa aventura lá em 2008, só que ao contrário. Nesta empreitada além do Daniel e eu, foram William Koep, Bianco, Valquíria e Diogo e o Amigo dele Anderson.

Saímos bem cedo, às 06:00 da manhã e a ideia era parar muito pouco, o dia amanheceu agradável e sem chuva, mas com o clarear do dia veio uma garoa e a neblina que ficou o dia todo e atrapalhou o visual dos lugares, a garoa virou chuva próximo do Morro Redondo e chegamos a cogitar o cancelamento e se contentar com o Morro Redondo somente, porém, a chuva parou e resolvemos seguir em frente, Diogo e seu Amigo retornaram embora.

Mantivemos uma passada boa até a bifurcação Usina Guaricana / Chaminé paramos ali para um lanche rápido e seguimos para onde apontava “Chaminé” onde tivemos uma sequência de descidas, mas logo veio as boas subidas tudo na faixa de 18% a 20% de inclinação ou seja, muito pesadas, neste ponto as garoa já estava presente novamente e foi assim até quase o final, a estrada não estava muito ruim, mas como estava muito molhado e com neblina, enxergar era um luxo, passamos a bifurcação da entrada da Colônia Castelhanos e subimos mais um pouquinho, a descida até o Rio São João foi rápida e estrada a estrada muito boa. Paramos na ponte para umas fotos e lubrificar a corrente e tirar areia dos conduítes, pois a subida mais longa era a próxima meta, subir de 300 metros até 780 em 5 quilômetros, estava preparado para o pior, pois os relatos dos amigos que andaram aqui anteriormente não era dos melhores, mas nos surpreendemos, a estrada como as outras que passamos estava muito bem conservada e tinha pontos onde a inclinação era pior que estava ate com asfalto 🙂

Rio São João

Ainda sorrindo!

Paramos logo após a subida para esperar e o frio bateu forte, suados e molhados da garoa, lá em cima o vento batia forte, a Valquiria sentiu a panturrilha na subida. Faltava ainda 3 quilômetros até a BR, chegamos lá ao lado de uma lanchonete e comemos alguma coisa e alguns lavaram as bikes em uma borracharia, ainda com um frio de lascar fiquei com o casaco e seguimos pela BR em um ritmo bem forte, na altura de Tijucas do Sul o radiador estava fervendo forte e fui obrigado a tirar o casaco, estava quase quebrando, pois estava suando demais.

Cheguei em casa as 13:40, 125 km pedalado com 20,6 de média e 2800 de altimetria, a próxima será Castelhanos com tempo melhor e ao contrario.

Mais fotos no álbum

Curitiba à Blumenau – 200km de bike

Por , 19 de outubro de 2014 21:40

Durante a semana que passou um amigo me convidou para um desafio pessoal e resolvi participar com ele, o desafio era ir de Curitiba à Blumenau de bike e tirar uma foto na vila Germânica onde está acontecendo a Oktoberfest. Analisei a empreitada e vi que a distância ficaria em torno dos 200 km até lá, o roteiro escolhido foi descer a serra da BR 376 e indo por Joinville e entrando na estrada do Arroz que vai sair em Guaramirim, um pouco antes de Jaraguá do Sul, depois pegando em direção a Massaranduba. Essa estradinha entre Guaramirim e Massaranduba já estava em meus planos a muito tempo, a estrada em si é um pouco ruim para quem anda de bike de estrada, o acostamento é muito mal conservado e com tráfego bem grande de caminhões que passam bem rápido, já que a estrada é bem plana em boa parte do trajeto e de mão simples.

Plantação de arroz

Entrando em Massaranduba

Pegamos muito vento lateral e contra, o vento lateral foi na parte da estrada de arroz, eu nunca tinha pego um vento assim que quase me derrubou da bike umas quatro vez e depois no trecho entre Guaramirim até Blumenau foi de frente. A média ficou bem baixa nesses trechos, pelo menos o vento estava quente. Chegamos em Blumenau e me deparei como uma cidade bem grande, com muitos prédios e industrias, mas não fugindo da característica alemã com suas casas no estilo enxamel. Seguimos para a Vila Germânica e tiramos uma foto do portal da Oktoberfest, missão cumprida, foram 200 km até lá, agora era chegar na rodoviária e voltar para casa, por sorte tinha um ônibus praticamente saindo, foi em cima do laço 🙂

Apesar do vento forte durante boa parte do pedal e altimetria maior que o Audax de Floripa, foi bem menos sofrido, talvez por causa das paradas maiores e a preocupação menor com o tempo ajudou muito. Agora a meta é 300 km, talvez um Audax

Na roda :)

Curitba à Blumenau

Morro Redondo – Estrada da Guaricana

Por , 25 de agosto de 2013 18:54

Aproveitando a semana boa pra pedalar, marquei com os amigos (Alfredo, Josmar, Bianco, Val e Sherek) um pedal até o Morro Redondo que fica no caminho da estrada da Guaricana, 35 quilômetros do centro de São José, porém nunca tinha ido lá e estava nos meus afazeres já havia algum tempo.

O dia amanheceu com bastante neblina e um pouco frio, mas ideal para pedalar, só queria que o tempo limpasse quando chegasse ao morro. Seguimos pela colonias passando pela Malhada e Roça Velha rumo ao morro.

2013-08-25 08.48.56

2013-08-25 08.49.07

O pedal rendeu bastante e as 9:45 já estávamos no topo do morro ao lado das antenas, parada para as fotos e contemplação da paisagem. Voltamos e pegamos outro caminho, pegamos a estrada que sai ao lado da PRF e paramos em um posto já na Contenda ao lado da BR 376 e fizemos um lanche rápido.

2013-08-25 09.45.05-1

2013-08-25 09.46.30

2013-08-25 13.29.30

Cruzamos a BR e seguimos pela Contenda passando pela Audi e depois por outras colonias até chegar a São José, pedal bacana com quase 1300 de altimetria e 68km – cheguei em casa 12:30 – Maravilha, deu até pra fazer uma média com a patroa 🙂

Fica a pendência ainda em ir até a Colonia Castelhanos… Espero que saia esse ano ainda!

Pedal Noturno

Por , 20 de julho de 2012 8:12

Aproveitando as férias da criançada, e da patroa também, resolvi voltar com os pedais noturnos. A turma das antigas já não encontro mais, mas o interessante é que tem muito mais pessoas andando de bike por ai, é sair em direção as colonias que logo você encontra um grupo pedalando.

Foi o que fiz ontem, logo que sai de casa já encontrei três camaradas pedalando, encostei no grupo e segui com eles até as Gamelas, para um pedal tranquilo de 25 Km, muito frio e nevoeiro, mas com três novos amigo de pedal.

“Ciclovias” em São José dos Pinhais

Por , 21 de junho de 2012 13:31

Após um ano de reuniões técnicas entre a Prefeitura Municipal de São José Pinhais e a Coordenação da Região Metropolitana de Curitiba (COMEC), foram concluídos os estudos e já estão em licitação as obras de reforma, requalificação e ampliação da Avenida das Américas, em São José dos Pinhais (prolongamento da Avenida Marechal Floriano Peixoto, em Curitiba); e da Avenida das Torres, principal ligação entre Curitiba e o Aeroporto Internacional Afonso Pena.

As obras do sistema viário metropolitano têm objetivo para melhorar os acessos ao Aeroporto e integram o Plano de Aceleração da Crescimento (PAC) da Mobilidade – Copa 2014.
De acordo com informações da COMEC, a previsão é que ambas sejam iniciadas ainda no segundo semestre deste ano. Ao todo serão reformados e requalificados 3.410 metros da Avenida das Américas, com início na ponte do rio Iguaçu e término na BR-376, com custo total máximo de R$ 21,065 milhões. O prazo de execução é de 18 meses, a partir da assinatura do contrato. A data prevista para abertura dos envelopes da licitação é 17 de julho.

Avenidas das Américas
Em relação à Avenida das Américas, os projetos finais de engenharia preveem a construção de ponte sobre o Canal Extravasor do Rio Iguaçu; implantação de pista central para circulação exclusiva do transporte coletivo; e requalificação da via com implantação de ciclovias, restauração do pavimento asfáltico, sinalização horizontal e vertical, iluminação e paisagismo e implantação. A rede SIMM (Sistema Integrado de Monitoramento Metropolitano) será instalada ao longo de toda a via, para controle do tráfego e gerenciamento do transporte público.

Avenida das Torres
Já o projeto do Corredor Aeroporto/Rodoferroviária, que compreende a Avenida das Torres, em São José dos Pinhais, e a Avenida Comendador Franco, prolongamento em Curitiba, prevê a reforma e a requalificação de 9,83 km. O corredor foi dividido em dois trechos distintos: o primeiro compreende a Avenida das Torres, com início na ponte do rio Iguaçu até a trincheira de acesso ao Aeroporto Internacional Afonso Pena, localizada na Rua Comendador Aviador José Paulo Lepinski. Nele estão previstas a construção de duas pontes, uma sobre o rio Iguaçu e outra sobre Canal Extravasor, implantação de via marginal à Avenida das Torres interligando a Avenida Salgado Filho à Rua Joaquim Nabuco, implantação de trincheiras para veículos, readequação das ruas Pérola do Oeste e Loanda; abertura e implantação da Rua Mirador e alargamento da trincheira existente na rua Comendador Aviador José Paulo Lepinski.

No primeiro trecho, está prevista a implantação de duas trincheiras para pedestres e ciclistas; restauração do pavimento asfáltico; sinalização horizontal e vertical, iluminação, paisagismo e a implantação da rede SIMM em toda a extensão.

O edital de licitação do Corredor Aeroporto/Rodoferroviária prevê custo total máximo de R$ 48 milhões para a obra.

Fonte: Prefeitura de São José dos Pinhais

Panorama Theme by Themocracy